terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Sol, Mancha solar, Timelapse e bugigangas

NUNCA aponte um telescópio para o Sol.
No caso de um telescópio de grande abertura, pode acabar numa cegueira instantânea ou em equipamento estragado.

Tendo dito isso, arrisquei minha câmera apontando ela e telescópio (afocal) para o sol nascente.
No início da sequência, com toda abertura liberada e exposição moderada para longa.
Quando apenas uma fração do Sol surge, tenho que tampar o telescópio e deixo passar apenas uma fração da luz. Alternando entre tampar a abertura para o sensor esfriar e capturar uma imagem na exposição mais rápida que a câmera permite.

Meu intento era saber se antes do Sol nascer, alguma coisa da luz passava por dentro da água.
Não sei o quanto da atmosfera refrata luz e o quanto é o oceano... vejam o filme e decidam.

No primeiro dia havia nuvens... no segundo a coisa deu certo...

video

video


Nessa imagem, a macha solar foi ampliada pela atmosfera. O ar atuou como uma lente. Apesar disso, a mancha, no dia, estava visível à olho nu (protegido por filme apropriado).

31/01/2014 - Mancha solar

Imagem de referência para o mesmo dia, obtida aqui.



Imagem bônus:

Tratamento pesado na imagem para mostrar detalhes ofuscados, pássaros e mancha solar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário científico (not!) após o bipe.